Gestão odontológica

Como fazer contabilidade para dentistas? 7 dicas de gestão financeira

A contabilidade para dentistas é um tema que desperta dúvidas em muitos profissionais. Isso porque, além dos evidentes desafios que enfrentamos ao abrir uma clínica odontológica, como a compra de equipamentos, insumos e aluguel do espaço físico, precisamos também cuidar de toda a administração empresarial. 

E a contabilidade faz parte dessa gestão para dentistas. Você deve considerar fatores como a escolha do regime tributário, o controle do fluxo de caixa e a própria emissão de notas fiscais.

Pensando nisso, trago este artigo para mostrar os principais pontos aos quais você, dentista, deve estar atento para manter as finanças do consultório ainda mais brilhantes do que os sorrisos dos seus pacientes. 

Continue a leitura!

Qual a importância da contabilidade para dentistas?

A contabilidade para dentistas vai muito além do mero cumprimento de obrigações burocráticas. Uma boa gestão também é capaz de fazer toda a diferença para evitar problemas financeiros e para colocar sua clínica em uma posição competitiva no mercado.

Ao manter a gestão contábil em ordem, você assegura que a sua clínica sempre tenha clareza sobre receitas, despesas e dinâmica do fluxo de caixa. Com os números bem estruturados, é possível adotar decisões estratégicas que impulsionem o crescimento do seu consultório.

Ao mesmo tempo, a verdade é que não podemos esquecer que a contabilidade para profissionais de saúde deve sim prestar atenção às tributações. Você sabe qual o valor do imposto para dentistas?

Quais impostos o dentista deve pagar?

Depois de se formar, os dentistas devem optar por atuar como pessoa física ou jurídica. Com um CNPJ, o profissional pode se enquadrar em diferentes regimes tributários, portanto, o valor do imposto depende dessa escolha.

Prestador de serviços autônomo

Se você presta serviços como pessoa física, ou seja, é um dentista autônomo, deve pagar o Imposto de Renda e o INSS autônomo. 

No IRPF, a alíquota pode chegar a até 27,5% dependendo de seus rendimentos totais. Consulte sempre a tabela no site oficial do governo para valores atualizados.

No caso do INSS, o valor da tributação pode chegar a 20% da receita bruta do dentista, não superando o teto de contribuição do ano em questão.

Simples Nacional

Para dentistas, os impostos do Simples Nacional são:

  • Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Contribuição Previdenciária Patronal (CPP);
  • Imposto sobre Serviços (ISS).

Lucro Presumido

Já os impostos do Lucro Presumido para dentistas são:

  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) – 4,8%
  • Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS) – 0,65%
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) – 3%
  • Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) – 2,88%
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) – de 2% a 5%

Lucro Real

Por fim, os impostos do Lucro Real incidem sobre o lucro líquido, que vai constar como base de cálculo. Quanto menor esse montante após as deduções, menor será o imposto que o dentista deve pagar.

⚠️ Busque sempre por um contador especializado para escolher o melhor regime tributário e entender outras questões sobre contabilidade para dentistas.

Como organizar o financeiro de um consultório odontológico?

Quase impossível falar sobre contabilidade sem falar sobre gestão financeira para dentistas. Por isso, separei algumas dicas objetivas que podem ajudar você a organizar o financeiro do seu consultório odontológico!

1. Separe a conta pessoal da profissional

Antes de qualquer coisa, tenha em mente desde o começo que você deve separar as suas contas. Os gastos pessoais não podem se misturar com os do consultório para o bem da saúde financeira do seu negócio.

Apesar de você poder trabalhar como pessoa física, se decidir abrir um CNPJ, será possível abrir uma conta bancária específica para a sua clínica.

Ter as contas bem definidas para seus propósitos vai te ajudar a ter maior controle financeiro para melhorar o seu faturamento como dentista e calcular os lucros.

2. Escolha o regime tributário ideal

Mais acima, já expliquei quais impostos você deve pagar como dentista de acordo com o seu regime tributário. Porém, como eles se diferenciam?

Existem três modalidades de regimes tributários que você pode optar:

  • Lucro Real: nesse regime, você deve calcular os impostos com base nos lucros da empresa, resultando em alíquotas que variam de mês para mês. Pode ser uma opção interessante para consultórios e clínicas já estabelecidas e com um alto faturamento;
  • Lucro Presumido: a taxa de tributação é fixa e estabelecida pelo governo. Para adotar esse regime, a empresa não pode ter um faturamento superior a R$78 milhões ao ano;
  • Simples Nacional: esse regime é adequado para clínicas que estão começando suas atividades agora, pois oferece a conveniência de pagar todos os impostos em uma única guia. 

🔴 Reforço mais uma vez: consulte sempre um contador para ver qual é a escolha ideal e para tomar uma decisão informada!

3. Controle o fluxo de caixa

Anote todas as despesas e receitas da clínica. Ou seja, todos e quaisquer valores que entram e saem devem estar muito bem organizados em uma planilha ou software de gestão financeira para dentistas.

Com essas informações, é possível ter um panorama real dos custos da clínica. Você também saberá o quanto poderá investir em atrair mais clientes para a clínica. 

Será que dá para investir mais em campanhas de vendas e marketing? Ou é um momento de segurar as pontas?

De qualquer forma, tenha total atenção para controlar até os menores gastos, mesmo aqueles que parecem inexpressivos a princípio. Aliás, sempre encaminhe o fluxo de caixa ao seu contador.

Leia mais sobre: 8 dicas de gestão financeira para dentistas e clínicas odontológicas

4. Certifique-se de ter documentações em dia

Ter a papelada em ordem é essencial para qualquer negócio, e um consultório odontológico não foge à regra. Então observe e liste de toda a documentação envolvida na abertura e manutenção da clínica.

Lembre-se de que é indispensável guardar todos os comprovantes de pagamentos de impostos e taxas como IPTU, ISS e contribuições previdenciárias.

Garantir a documentação em ordem é fundamental para a boa gestão de qualquer negócio. Então confira se nada está atrasado ou faltando na prestação de contas para o governo.

Um curso de administração para dentistas pode ser uma boa pedida para garantir que esteja por dentro de toda a documentação necessária.

5. Emita notas fiscais para os pacientes

O dentista precisa emitir nota fiscal? Sim, independentemente do regime tributário adotado, é obrigatório emitir a NF na odontologia ou pelo menos fornecer um recibo para os pacientes, comprovando os serviços prestados.

Fique atento para a Lei 8.846/1994, que trata da emissão de documentos fiscais:

“Art. 1º A emissão de nota fiscal, recibo ou documento equivalente, relativo à venda de mercadorias, prestação de serviços ou operações de alienação de bens móveis, deverá ser efetuada, para efeito da legislação do imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza, no momento da efetivação da operação.

1º O disposto neste artigo também alcança:

a) a locação de bens móveis e imóveis;

b) quaisquer outras transações realizadas com bens e serviços, praticadas por pessoas físicas ou jurídicas.”

Portanto, se você possui CNPJ, deve emitir a NFS-e (Nota Fiscal de Serviço Eletrônica) a cada atendimento realizado. Já dentistas que atuam com CPF podem optar por recibos de prestação de serviço.

Não deixe de fornecer comprovantes para seus pacientes, tanto para a sua própria segurança quanto para a deles!

6. Invista em um software de gestão financeira para dentistas

A gestão para dentistas pode ficar muito mais fácil se você usar a tecnologia no dia a dia para organizar o seu consultório odontológico. Além da praticidade, essas ferramentas ajudam a evitar erros humanos, sejam em cálculos ou dados.

Existe uma enorme variedade de softwares para dentistas, soluções digitais completas para gerenciar desde os pacientes até a parte administrativa e financeira. 

Você tem controle total sobre seus gastos gerais, pagamentos, serviços laboratoriais, controle e reposição de estoque, investimentos em equipamentos e marketing etc. 

Um exemplo é o Simples Dental, um dos softwares de gestão mais populares no mercado brasileiro. O programa é fácil de usar e tem funções úteis para consultórios e clínicas como: gestão das finanças, ações de marketing e vendas, controle de prontuários, entre outras.

Aumente o seu faturamento

Como você pode ver, a gestão financeira e a contabilidade para dentistas são essenciais na administração de sua clínica. 

No entanto, acredito que para realmente crescer o seu negócio de forma sustentável, nada melhor do que aprender a atrair mais pacientes.

Por isso, agora convido você a conhecer dois de meus cursos que vão mudar a forma como você vai captar e converter pacientes particulares pela internet todos os dias.

O Método Gorro Branco é um curso on-line que ensina você a fazer a sua primeira venda em pouco tempo e gastando pouco dinheiro. O início é imediato, com suporte e acompanhamento de perto!

Já a Imersão Paciente 10k é uma mentoria com estratégias de negócio, demonstrações práticas e aplicação em tempo real. Basta preencher um formulário de aplicação e entrarei em contato com você.

Aproveite a oportunidade e faça um investimento certeiro no crescimento da sua clínica odontológica! E se você ainda tiver dúvidas, que tal conversar comigo pelo WhatsApp agora mesmo? Aguardo sua mensagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *