Gestão odontológica

8 dicas de gestão financeira para clínicas odontológicas

Se você é dono de um consultório, já deve ter percebido que a realização dos procedimentos odontológicos são apenas parte do seu trabalho, não é mesmo? Junto a isso, muitas outras obrigações fazem parte do seu dia a dia, entre elas a gestão financeira da clínica odontológica. 

Afinal, o grande objetivo de ter uma carreira na odontologia é gerar capital suficiente para ter uma vida tranquila, junto à sua família, se sustentando com o seu trabalho.

Para isso, é fundamental controlar a movimentação de dinheiro, seja do montante que entra em caixa, mediante o pagamento pelos serviços prestados, como do capital que sai, para pagar fornecedores, materiais, laboratórios, funcionários, aluguel e outras despesas. 

Entretanto, a maior dificuldade para os dentistas está atrelada à falta de conhecimento sobre como lidar com todos esses aspectos. Nenhum de nós aprendeu na faculdade como fazer o gerenciamento da clínica. 

Mas existem outras formas de aprender que não dependem apenas da nossa graduação. 

Assim como você continua estudando para se tornar um especialista em algum tipo de tratamento, também é possível aprender a melhorar o gerenciamento financeiro do seu consultório (e, com isso, aumentar sua lucratividade). 

O que é gestão financeira para dentistas?

A gestão financeira para clínicas odontológicas refere-se à administração dos recursos financeiros da clínica, incluindo o controle de receitas, despesas, fluxo de caixa, investimentos, empréstimos e orçamento. Com o controle eficiente o dentista aumenta a lucratividade, expande a base de pacientes e investe em novos equipamentos e tecnologias.

Vantagens do gerenciamento nas clínicas 

Confira a seguir por que fazer o controle financeiro é essencial para sua clínica:

  • mantém as finanças organizadas e controladas;
  • evita inadimplência e o pagamento de multas e juros;
  • permite um melhor planejamento financeiro;
  • ajuda a identificar as principais fontes de receita e despesa do consultório;
  • identifica possíveis problemas financeiros;
  • facilita a tomada de decisão;
  • permite a definição de metas;
  • auxilia na redução das despesas;
  • contribui para aumentar o lucro e mais.

Então, como colocar tudo isso em prática? Confira.

Como fazer gestão financeira para clínica odontológica?

Para fazer a gestão financeira da clínica odontológica é preciso: 

  1. registrar entradas e saídas;
  2. definir um pró-labore para retirada mensal;
  3. separar despesas pessoais e empresariais;
  4. anotar gastos fixos do negócio;
  5. projetar um faturamento ideal; 
  6. controlar o ticket médio;
  7. estabelecer a meta de clientes mensais;
  8. acompanhar a movimentação e fazer ajustes.

Para que tudo isso aconteça na prática, algumas etapas são essenciais, como:

  • Domínio do fluxo de caixa: todos os valores movimentados devem ser registrados em algum lugar de fácil acesso, preferencialmente um sistema dotado de tecnologia (evite planilhas e caderninhos);
  • Software de gestão: é o local em que todas as movimentações devem estar reunidas. Um bom sistema é capaz de registrar contratações, recebimentos, pagamentos futuros (em casos de parcelamentos), gastos fixos, oferecer o saldo do fluxo de caixa e mais;
  • Controle seus custos fixos e variáveis: tenha sempre registro dos valores que oneram suas contas e quais deles são fixos, sejam eles mensais, quinzenais, semanais e etc;
  • Fique atento à inadimplência: de nada adianta você fazer previsões e planejamento se os valores não entrarem, certo? Por isso é essencial ficar atento aos pagamentos e atrasos de pacientes.

Leia também: Dicas gestão de consultório odontológico: 5 ações essenciais

Dentista e gestão financeira: 8 dicas para essa união 

Para que os dentistas e a gestão financeira criem uma relação de sucesso é preciso:  

  1. Manter a agenda atualizada;
  2. Acompanhar o fluxo de caixa;
  3. Separar contas pessoais e profissionais;
  4. Apostar em treinamentos;
  5. Controlar e organizar o estoque;
  6. Fazer previsões de compra;
  7. Manter os preços dos serviços atualizados;
  8. Identificar custos desnecessários.

1. Mantenha sua agenda sempre atualizada

Utilize apps como Google Agenda ou afins para controlar seu horário e conseguir ter uma visão ampla de quantos atendimentos você faz por dia e qual é a sua capacidade de crescimento.

2. Faça a acompanhamento do fluxo de caixa

Como dissemos acima, registe todos os valores que entram e saem do caixa da sua clínica e que devem ser registrados. Essa é a melhor forma de controlar para onde estão indo seus recursos e de onde vem o dinheiro que sustenta seu negócio.

3. Separe contas pessoais e profissionais

Um erro bem comum de quem mantém um consultório é misturar as contas, primeiro porque isso pode te dar uma grande dor de cabeça na hora da declaração de imposto de renda tanto como pessoa física quanto jurídica, mas o problema não para aí. 

Ao misturar as despesas a tendência é perder o controle dos gastos e reduzir a sua capacidade de avaliar a real situação do negócio.

4. Aposte em treinamentos e cursos

Como dentista é normal que você não tenha conhecimento em gestão, por isso vale a pena ir atrás deste aprendizado para justamente ter uma visão mínima e entender as contas e como melhorá-las.

Sobre esse assunto, eu indico a leitura de outro artigo aqui do blog: Curso de gestão em odontologia para crescer com segurança.

5. Controle e organize o estoque de insumos

Outro ponto que merece atenção é o estoque de insumos, equipamentos e demais ferramentas que são usadas no seu dia a dia. Não dá para esperar que algo dê defeito ou acabe na hora de uma consulta para solicitar a reposição, não é mesmo?

Por isso, mantenha o controle da quantidade, data de validade e manutenções a serem feitas.

6. Faça previsões de compra com antecedência

Vai investir em um maquinário novo ou substituir algum que já está velho, mas não sabe o momento? Quando você mantém as contas sob controle é bem mais fácil saber a hora de investir de maneira mais segura.

7. Mantenha seus preços atualizados

Por fim, como todo produto ou serviço, os preços estão sujeitos a alterações, seja por investimentos ou fatores externos como inflação, alta do dólar e etc.

Por isso, fique atento a esses fatores para atualizar seu preço de maneira gradativa para não assustar seus pacientes e acabar perdendo alguns.

Ao aplicar essas dicas de gestão financeira para clínicas odontológicas você já vai sentir uma melhoria na sua organização e na capacidade de identificar problemas e oportunidades. 

Além disso, vai ter mais controle sobre os planos que pode fazer para o negócio, inclusive sobre o esforço de marketing necessário para alcançar as suas metas. 

Bom, não é mesmo? Melhor ainda é aprender como atrair, captar e converter pacientes particulares através da internet todos os dias. E isso você consegue aqui no curso Gorro Branco, que já foi testado e aprovado por mais de 2.000 alunos dentistas. 

Com ele você vai aprender a direcionar melhor suas campanhas e aumentar a sua conversão.

Conheça a história do Dr. Daniel Gaspar que atingiu os seis dígitos de faturamento já no primeiro mês do curso, com apenas uma cadeira.

Curtiu? Quer ter os mesmo resultados? Então conheça o Gorro Branco, o curso de marketing digital para dentistas completo e especializado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *