Gestão odontológica

Teleodontologia: como a odontologia à distância está ganhando espaço

O uso da teleodontologia vem ganhando espaço nas discussões sobre o futuro da área. 

O que pode e o que não pode ser feito está descrito na RESOLUÇÃO CFO-226, de 04 de junho de 2020, e meu objetivo com esse artigo é explicar os aspectos essenciais e práticos ao exercício desse modelo de atendimento. 

Logo, meu foco é te ajudar a compreender o que pode ser aplicado e quais cuidados são essenciais.  

Como você pode observar ao avaliar a data do documento, estamos falando de uma resolução criada durante a pandemia de covid -19 que exigiu o distanciamento das pessoas, mesmo em alguns casos de suporte à saúde. 

Entretanto, mesmo o estado de emergência do Brasil tendo sido finalizado, as regras ainda devem ser respeitadas e as conversas sobre o assunto se mantêm. 

Afinal, alguns comportamentos que desenvolvemos durante a pandemia se mantiveram, por exemplo, o crescimento de pessoas que trabalham no esquema de home office ou no modelo híbrido. 

A teleodontologia é um dos temas que continua em  foco. Então, proponho entendermos o que pode e o que não pode ser feito hoje em dia. 

O que é teleodontologia?

A teleodontologia é uma prática da odontologia digital, dentro do conceito de telessaúde, que visa oferecer consultas dentárias online à distância, por meio de tecnologias digitais, entre elas: conferências, ligações de vídeo, conversas por aplicativos de mensagem e mais. Pode ser dividida em teleconsulta, teleprescrição, teleinterconsulta, telemonitoramento e teleassistência.

Dentro desse formato, existem atividades que podem ser realizadas a partir da aplicação da odontologia à distância, e outros procedimentos que são proibidos. 

Como disse na abertura deste artigo, tudo isso é definido pelo Conselho Federal de Odontologia.

O que é teleinterconsulta?

Uma das possibilidades da teleodontologia, permitidas pela resolução do CFO é a  teleinterconsulta. 

Na prática, ela acontece a partir do compartilhamento de informações e opiniões entre profissionais, ou seja, dos dentistas que vão avaliar o mesmo caso. 

O objetivo é garantir um atendimento excepcional ao paciente, em situações em que essa troca de informações seja  necessária ou desejada.

Isto é , se você tiver  um caso complexo dentro da sua clínica e quiser  uma segunda opinião ou, então, se deseja o suporte de outro profissional dentista, esse contato entre vocês e o paciente pode ser feito por meio de recursos de e-saúde, como videochamadas. 

A teleconsulta é permitida? 

Não. Calma, eu explico! O conceito de teleconsulta inclui a realização de procedimentos, como:

  • anamneses;
  • diagnósticos;
  • plano de tratamentos e mais.

Todavia, segundo o Art. 1º. da Resolução 226/2020 do Conselho Federal de Odontologia, esse tipo de procedimento não pode ser feito por meio de consultas dentárias on-line.

Veja o que diz o trecho do documento:

“Art. 1. Fica expressamente vedado o exercício da Odontologia a distância, mediado por tecnologias, para fins de consulta, diagnóstico, prescrição e elaboração de plano de tratamento odontológico”.

No que diz respeito à  teleinterconsulta, sobre a qual falei acima, o parágrafo único desse mesmo artigo diz: 

“Parágrafo único: admite-se como exceção os casos em que, estando o paciente obrigatoriamente sob supervisão direta de Cirurgião-Dentista, este realize a troca de informações e opiniões com outro Cirurgião-Dentista, com o objetivo de prestar uma melhor assistência ao paciente”. 

Perceba  que a teleinterconsulta é uma possibilidade legal para a execução da teleodontologia. 

É possível fazer teleconsulta durante o tratamento?

As regras sobre a teleodontologia, entretanto, continuam, afinal, existem muitas opções de suporte on-line ao paciente, e elas estão muito atreladas ao estágio do tratamento. 

Por exemplo, se  um paciente tiver acabado de realizar  um implante no seu consultório e estiver  em fase de recuperação, é permitida a realização de consultas dentárias on-line para solucionar dúvidas ou fazer a supervisão do resultado. 

Ainda usando a Resolução 226/2020 do CFO, observe o que diz o Art. 2º:

“Será admitido o telemonitoramento realizado por Cirurgião-Dentista, que consiste no acompanhamento à distância dos pacientes que estejam em tratamento, no intervalo entre consultas, devendo ser registrada no prontuário toda e qualquer atuação realizada nestes termos.”

Leia também: Como são os anúncios irregulares de dentistas? Regras do CRO

O que é teleassistência?

A teleleassistência pode ser considerada uma aplicação da teleconsulta que acontece após um procedimento ser realizado. Ela pode ser realizada de duas maneiras principais: 

  • Síncrona: na qual a comunicação à distância acontece em tempo real, geralmente, por videochamada; 
  • Assíncrona: quando o contato não acontece em tempo real, mas por meio de documentos, textos e vídeos que podem ser acessados em momentos diferentes . 

Por exemplo, se você cria um guia sobre cuidados após o implante e o envia ao paciente que realizou o tratamento, isso é um tipo de teleassistência assíncrona. Tudo aconteceu à distância, mas não em tempo real. 

Leia também: 9 melhores apps para dentistas terem no celular

Quais são os benefícios da teleodontologia para dentistas e pacientes?

Antes de continuarmos, vale a pena conhecer um pouco mais sobre os benefícios da teleodontologia:

  • velocidade no atendimento;
  • aumento da capacidade da oferta de suporte aos pacientes;
  • flexibilidade;
  • redução da necessidade de deslocamento;
  • agilidade na solução de dúvidas;
  • redução de custos;
  • mais eficiência na organização do tempo e da agenda e mais. 

Quais atividades o cirurgião dentista não pode realizar em uma teleconsulta?

Um cirurgião-dentista não pode realizar consultas, anamneses, fazer diagnósticos,  prescrever receitas e montar um plano de tratamentos à distância. É isso o que Conselho Federal de Odontologia descreve na Resolução 226/2020 e que precisa ser seguida enquanto as regras do documento estiverem em vigor.

Também é proibido, às pessoas jurídicas, veicular campanhas de marketing com o termo teleodontologia.

Além disso, é obrigatório que, quando a teleassistência ocorrer, todas as informações do  atendimento sejam registradas no prontuário do paciente, garantindo o acompanhamento do tratamento e do histórico dele.

Leia também: Código de ética do marketing para dentistas: tudo que você precisa saber

Qual é o futuro da odontologia à distância?

Enquanto a odontologia digital é uma realidade impossível de ignorar, com ferramentas modernas, como o escaneamento intraoral e tecnologia CAD/CAM 3D, a odontologia à distância ainda precisa ser mais discutida.

É necessária uma análise dos benefícios e desafios das consultas dentárias online. 

Por enquanto, é fundamental que você acompanhe e siga as regras e normas do CFO, cumprindo o que o órgão direciona. 

Estar atento às tendências da odontologia é um trabalho imprescindível. Para te ajudar nessa etapa, te convido a conhecer o Gorro Branco, um treinamento de marketing e vendas que já ajudou mais de 2 mil profissionais a alavancarem suas carreiras. 

Entre para esse time: inscreva-se no Gorro Branco hoje mesmo e aprenda a atrair pacientes pela internet, todos os dias.  E se ainda tiver dúvidas, que tal conversar comigo agora mesmo? Te espero!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *