Mercado odontológico

ASB e TSB na odontologia: funções e apoio no marketing odontológico

Por melhor e mais bem capacitado que um dentista seja, sem o apoio de outros profissionais com qualificação técnica, a rotina de trabalho não flui. Por isso, existem dois cargos essenciais no fluxograma odontológico: o ASB e o TSB. Os dentistas ganham auxílio importante, incluindo esses dois profissionais na equipe, mas é importante saber quais funções cada um pode exercer.

Neste artigo, explico quais são as principais atividades de cada cargo conforme a lei que regulamenta as profissões, e como esses pontos contribuem para o marketing dos consultórios.

Boa leitura! 

O que significa ASB e TSB?

As siglas ASB e TSB significam Auxiliar de Saúde Bucal e Técnico em Saúde Bucal, respectivamente. As funções de cada profissional são complementares às do dentista, elevando a qualidade dos tratamentos realizados e contribuindo para garantir uma experiência única aos pacientes.

A Lei n.º 11.889, de 24 de dezembro de 2008, regulamentou a profissão de ASB e TSB, definindo quais atividades da rotina odontológica podem ser realizadas conforme a qualificação profissional exigida para cada posição.

Portanto, se você é dentista e deseja contratar esses profissionais, precisa se certificar de que os candidatos aos cargos tenham o treinamento adequado para ocupá-los.

Para trabalhar como auxiliar ou técnico, é necessário ter os cursos exigidos e ser registrado tanto no Conselho Federal de Odontologia quanto no Conselho Regional de Odontologia da região. É fundamental conferir esses requisitos antes da contratação.

Leia também >>> Gestão de clínica odontológica: tutorial para alta performance.

Qual a diferença entre a ASB e TSB? 

O auxiliar (ASB), como o nome indica, executa tarefas auxiliares da rotina do consultório, como receber pacientes, separar documentos com dados do atendimento, organizar materiais, etc. Já o técnico (TSB) pode assessorar diretamente a execução dos procedimentos, como limpeza e antissepsia pré-cirurgias.

Outra diferença é o tempo de formação. O curso de ABS deve ter carga horária de 300 horas, no mínimo, divididas entre 240 horas teórico/prática e 60 horas de estágios supervisionados.

Para obter o nível técnico, é preciso passar por um curso com carga horária mínima de 1.200 horas, que inclui matérias profissionalizantes e estágio. A conclusão do ensino médio é pré-requisito para fazer os cursos de ASB e TSB.

As especificações para formação em cada cargo foram definidas e registradas na ‘Consolidação das Normas para procedimentos nos Conselhos de Odontologia’, aprovada pela Resolução CFO-63/2005.

O que o ASB pode fazer? 

Conforme o artigo 9º da Lei n.º 11.889 especifica, um ABS pode realizar as seguintes funções, sempre sob a supervisão do técnico ou do cirurgião-dentista:

  • ordenar e realizar tarefas de higiene bucal;
  • conferir as películas de raio X;
  • aprontar o paciente para o atendimento;
  • ajudar e repassar instrumentos aos profissionais durante procedimentos clínicos ou hospitalares;
  • manusear materiais odontológicos;
  • separar moldeiras;
  • organizar modelos em gesso;
  • anotar informações e auxiliar na análise de dados relacionados ao controle administrativo em saúde bucal;
  • fazer limpeza, higienização, desinfecção e esterilização de instrumentos, equipamentos e do ambiente do consultório;
  • recepcionar o paciente para a realização de procedimentos de saúde bucal;
  • seguir as regras de biossegurança no armazenamento, transporte, manuseio e descarte de produtos e resíduos odontológicos;
  • criar iniciativas de divulgação da saúde e prevenção de riscos ambientais e sanitários; trabalhar em equipe na listagem de necessidades em saúde bucal; 
  • seguir padrões de biossegurança, objetivando o controle de infecção.

Atividades que auxiliares não podem desempenhar

Entre as tarefas proibidas aos auxiliares de saúde bucal estão:

  • praticar atividades odontológicas por conta própria;
  • dar auxílio, direto ou indiretamente, sem a coordenação do cirurgião-dentista ou do técnico em saúde bucal;
  • exercer qualquer atividade fora das funções discriminadas na Lei n.º 11.889/2008;
  • promover serviços em canais de mídia especializados da área odontológica.

Leia também >>> Fidelizar pacientes: 7 estratégias para dentistas [GUIA]

Onde o TSB pode trabalhar? 

Um técnico em saúde bucal pode trabalhar em instituições públicas e privadas, participando de equipe que trabalham em diferentes iniciativas, como:

  • Educação e Prevenção em Saúde Bucal;
  • Programas e campanhas coletivas da esfera pública;
  • Orientações em consultório privado
  • Assistência à Saúde Bucal;
  • Clínica geral;
  • Especialidades odontológicas (todas);
  • Odontologia hospitalar;
  • Docência e Supervisão de Estágios em Cursos Auxiliar e Técnico (TSB);
  • Participação em eventos como ministradores.

Principais funções do técnico em saúde bucal

Nos trabalhos dos quais os TBSs podem participar, as funções delegadas aos profissionais deve estar no seguinte escopo:

  • colaborar no treinamento e capacitação de auxiliares (ABS) e de outros agentes em iniciativas relacionadas à saúde bucal;
  • integrar equipes de ações educacionais, trabalhando na divulgação de informações sobre saúde e prevenção de doenças bucais;
  • fazer parte de trabalhos de estudo e levantamentos de dados epidemiológicos, menos da função de examinador;
  • instruir sobre regras de higiene bucal e efetuar cuidados preventivos, seguindo as instruções do cirurgião-dentista, como aplicação tópica de flúor;
  • realizar o processo de retirada de biofilme dental, utilizando a técnica indicada pelo cirurgião-dentista;
  • inspecionar, com a orientação do cirurgião-dentista, o trabalho dos auxiliares em saúde bucal;
  • fazer fotografias e radiografias exclusivamente em consultórios ou clínicas odontológicas;
  • colocar e preparar materiais odontológicos durante procedimentos, como na restauração dentária direta, seguindo as indicações do cirurgião-dentista;
  • fazer a limpeza e desinfecção do ambiente operatório, antes e após procedimentos cirúrgicos em clínicas, consultórios e hospitais;
  • retirar suturas;
  • fazer armazenamento, manuseio e descarte de produtos e resíduos odontológicos conforme as medidas de biossegurança;
  • efetuar o isolamento do campo operatório;
  • realizar todas as competências no âmbito hospitalar, repassando instrumentos ao cirurgião-dentista em trabalhos clínicos e hospitalares.

O técnico em saúde bucal só pode exercer as atividades acima se estiver sob supervisão de um cirurgião-dentista. Nunca de forma autônoma.  

O que o TSB não pode fazer? 

Um técnico em saúde bucal também possui algumas quatro restrições em relação às suas atividades determinadas pela lei, que são:

  • realizar qualquer atividade odontológica sozinho;
  • dar auxílio direto ou indireto ao paciente, sem a orientação do cirurgião-dentista;
  • executar qualquer procedimento bucal não especificado entre as funções conforme o artigo 5º da Lei n.º 11.889/2008;
  • divulgar serviços em mídias fora da área odontológica.

Leia mais >>> Técnicas de vendas para dentistas: confira as 6 principais.

O poder de uma equipe completa

Ter uma equipe completa com secretária, ASB e TSB é um diferencial. Isso porque cada profissional na sua função contribui para a criação de uma experiência de atendimento personalizada. Sem falar que a definição de um padrão ouro é um diferencial e tanto para o marketing do seu consultório.

Ou seja, se você pensa em reforçar sua equipe interna, lembre-se da importância do atendimento humanizado e como ter pessoas assistindo os pacientes valoriza a qualidade e a imagem do negócio. 

Quer aprender a definir um fluxo de trabalho eficiente para que seus atuais e potenciais pacientes sejam bem atendidos desde o primeiro contato?

Aprenda a criar metas e ações efetivas na internet para atrair novos pacientes no Método Gorro Branco. Inscreva-se pelo site ou converse comigo agora mesmo e dê o primeiro passo para alavancar seus resultados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *