Mercado odontológico

Odontologia preditiva: antecipando desafios e melhorando tratamentos

No passado, devido às limitações nos recursos relacionados à saúde, a medicina era essencialmente curativa, agindo sobre as doenças instaladas. Com o avanço da área e do conhecimento sobre os mecanismos das doenças, a prevenção tornou-se a principal bandeira.

Agora, a medicina preditiva é o principal meio de ação e as áreas da saúde começam a voltar a atenção para a análise de fatores genéticos que podem predispor um indivíduo a alguma doença.

É claro que a odontologia preditiva também existe e a tecnologia, assim como em outras áreas, é uma parceira importante na avaliação e definição dos cuidados com o paciente. 

Por ser um campo de estudo novo, o uso de técnicas preditivas ainda vai se desenvolver, mas ela terá um impacto no futuro do mercado da odontologia

Quer saber mais sobre este tema? Ao longo do artigo, explico o conceito, o papel da tecnologia preditiva em odontologia, benefícios e desafios para sua implementação. Continue a leitura e fique por dentro!

O que é odontologia preditiva?

A odontologia preditiva é um método de análise pré-sintomática, cujo objetivo é verificar a possibilidade de um indivíduo desenvolver uma doença ou alteração estomatognática no futuro, devido a alterações nos genes. Para isso, são utilizados testes genéticos e tecnologias na odontologia, como softwares que analisam e cruzam dados.

Além de identificar possibilidades, essa técnica de saúde preditiva atua nas etapas seguintes, com medidas para tentar prevenir as potenciais doenças identificadas de ocorrerem, ou planejar formas de remediá-las.

Dessa forma, a odontologia preditiva atua em conjunto com as ações preventivas, ajudando a criar protocolos de tratamento personalizados para cada paciente, conforme suas necessidades.

Nesse cenário, os dentistas precisam se atualizar e investir cada vez mais em conhecimento, desde a graduação, para acompanhar a evolução tecnológica na área e aprender a aplicá-la.

Acompanhar a velocidade de implantação das novas ferramentas tecnológicas na odontologia é um dos desafios do mercado, pois exige investimentos financeiros e a aquisição de novas habilidades. 

Leia também: 5 cursos para dentista recém-formado alcançar o sucesso [Lista].

Como a tecnologia auxilia a medicina preditiva?

A tecnologia é a principal aliada da medicina preditiva e beneficia todas as áreas, inclusive a odontologia. Os principais ganhos com a transformação digital na área são:

Adoção de testes genéticos

Os testes genéticos são exames feitos a partir de uma amostra de tecido ou líquido corporal. Ele analisa o genótipo, o conjunto de genes que uma pessoa possui, que determina uma variedade de fenótipos possíveis, as características observáveis.

As interações em longo prazo das características genotípicas com o ambiente e o estilo de vida do indivíduo influenciam o tipo de fenótipo que prevalecerá. 

Dessa forma, não é possível afirmar que uma pessoa vai adoecer, mas sabendo da possibilidade, pode-se adotar uma postura preventiva. 

Por exemplo, por meio de testes e dados sobre as condições clínicas da gestante, o dentista pode analisar e predizer sobre a possibilidade da criança ter cárie na dentição decídua (de leite).

Criação de bancos de dados

As análises da odontologia preditiva são feitas com o apoio de bancos de dados, contendo informações coletadas de diversas pessoas, o que permite ampliar o campo de análise e identificar padrões.

Uma clínica ou consultório odontológico pode criar o seu próprio banco, ou consultar outros centros de dados compartilhados, para fazer as análises pré-sintomáticas dos pacientes e identificar padrões que apontem para alterações específicas na dentição.

Análise por meio da inteligência artificial

As pesquisas e os cruzamentos de dedos na medicina preditiva são possíveis graças às soluções de inteligência artificial, especificamente machine learning, o aprendizado de máquina.

Esse tipo de software é capaz de analisar dados de um banco de informações com o auxílio de um algoritmo programado para identificar os padrões desejados. 

Dessa forma, além de uma análise mais precisa, o tempo de pesquisa é reduzido, permitindo ação rápida.

Quais os benefícios da análise pré-sintomática?

A análise pré-sintomática na odontologia preditiva beneficia tanto o paciente quanto o dentista, que pode fazer uma gestão de qualidade do consultório odontológico mais eficiente. 

Listei abaixo as principais vantagens:

Antecipar medidas preventivas e tratamentos

Com as técnicas preditivas, a qualidade das medidas de prevenção e, consequentemente dos tratamentos, pode ser mais assertiva, respeitando as necessidades e escolhas do paciente nos cuidados.

Diminuir o risco de doenças dentárias genéticas

Uma vez identificado o risco de desenvolver alguma doença dentária genética, o dentista poderá levantar as medidas possíveis para evitar ou minimizar os impactos, atuando antes que os sintomas debilitem o paciente.

Melhorar no planejamento financeiro da clínica

Outro benefício da análise pré-sintomática é otimizar o planejamento financeiro das clínicas e consultórios, evitando despesas desnecessárias, escolhendo os procedimentos que serão realizados com mais precisão. 

Leia também >>> Gestão financeira consultório odontológico: 7 dicas valiosas!

Desafios da saúde preditiva no futuro

Nos próximos anos, os dentistas deverão aprender a interpretar, gerenciar e analisar dados em saúde para embasar seus planejamentos e tomadas de decisão.

Dessa forma, a saúde do futuro será cada vez mais influenciada pela conectividade e pelas transformações digitais e será mais preditiva, preventiva e personalizada. Além desses, outros desafios serão:

1. Colocar o paciente como protagonista dos cuidados bucais. A partir das informações dos testes e análises, o dentista vai traçar o protocolo de cuidados. Repassar as informações de forma clara e com linguagem acessível ajudará o paciente a mitigar os riscos aos quais está predisposto.

2. Implantar análise de dados para planejamento de ações. A adoção das novas tecnologias exigirá investimentos financeiros, portanto, o planejamento dos gostos deverá ser cada vez mais estratégico.  

3. Evoluir no uso do prontuário eletrônico. O prontuário eletrônico é uma solução que facilita a digitalização de dados e melhora a gestão de cuidados com a saúde bucal. Por isso, adotá-lo é essencial para a qualidade do atendimento em consultórios e clínicas. 

4. Melhorar a comunicação entre os níveis de atenção à saúde. A integralidade entre as diferentes áreas de saúde é fundamental para que o paciente seja tratado em todos os aspectos físicos impactados pelas alterações bucais.  

5. Ampliar o uso da teleodontologia. Os novos métodos de atendimento e acompanhamento à distância vão facilitar cada vez mais o monitoramento dos pacientes, contribuindo para que a odontologia preditiva esteja disponível para toda população. 

Invista em conhecimento

A odontologia preditiva é só um dos avanços que vão impactar a área e modificar como os dentistas trabalham. Estar antenado às mudanças e ter um pensamento inovador e criativo, é essencial para a evolução profissional. 

Uma oportunidade para otimizar sua capacidade de gestão e carreira é na ‘Imersão Paciente 10k’. São dois dias com muito conteúdo, estratégias de negócio, demonstrações práticas e aplicação em tempo real. Aproveite essa experiência!

Conheça a ‘Imersão Paciente 10k’ ou converse comigo agora mesmo e dê o primeiro passo para alavancar seus resultados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *